Porto: i giovani e i maestri. Des-continuidade?